The unmistakable design and sweeping aesthetics of Wes Anderson's movies

Do you like movies? Love design? Ok, so this text is especially for you. From today we will start a section on the blog with some posts about how the design appears in iconic films of some famous movie directors.

To start with, we have put a question for you: is it possible to attend the Grand Budapest Hotel or The Darjeeling Limited and not fall in love with the aesthetics of the movies? We thought it very unlikely!


Gosta de cinema? Ama design? Ah, então esse texto é especialmente para você. A partir de hoje vamos começar uma seção no blog com alguns posts sobre como o design aparece em filmes icônicos de alguns célebres diretores de cinema. 

Para começar, lançamos uma pergunta para você: existe a possibilidade de assistir ao Grand Budapest Hotel ou The Darjeeling Limited e não se apaixonar pela estética dos filmes? Achamos bem pouco provável, viu?!

 Grand Budapest Hotel | Image: La Villette

Grand Budapest Hotel | Image: La Villette

Yes, our first director of the #DesignInScene section is Wes Anderson, the darling of design lovers. You can not see any scene from a movie of him and not be absolutely certain that it's the production itself. The identity he built upon design, colors, locations, furnishings, clothing and props is so strong that it has become his trademark. There is nothing by chance in his scenes, on the contrary, the director makes use of several principles of design, such as perspective, movement, symmetrical proportions and many other features that we will see now!


Sim, nosso primeiro diretor da seção #DesignInScene é Wes Anderson, o queridinho dos apaixonados por design. Não tem como ver qualquer cena de um filme dele e não ter a absoluta certeza de que é dele mesmo a produção. A identidade que ele construiu em cima do design, cores, locações, mobiliário, roupas e adereços é tão forte, que virou sua marca registrada. Não há nada por acaso em suas cenas, pelo contrário, o diretor, faz uso de vários princípios do design, como a perspectiva, o movimento, as proporções simétricas e muitas outras características que vamos ver agora!

 The Darjeeling Limited | Image: Taste Of Cinema 

The Darjeeling Limited | Image: Taste Of Cinema 

The perfect symmetry

Anderson is the king of symmetry. His preoccupation with this detail almost borders the obsession. There is a video circulating on the internet for some time, made by a Vimeo user, known as Kogonada, which shows a series of scenes taken from his movies, symmetrically perfect. He traced a dotted line well in the middle and in all of them the framing is centered and the one on the left half of the screen appears almost mirrored on the right side. Check here:


A simetria perfeita

Anderson é o rei da simetria. A sua preocupação com esse detalhe quase beira a obsessão. Há um vídeo que circula na internet há algum tempo, feito por um usuário do Vimeo, conhecido como Kogonada, que mostra uma serie de cenas retiradas de seus filmes, simetricamente perfeitas. Ele traçou uma linha pontilhada bem ao meio e, em todas elas o enquadramento está centralizado e o que há na metade esquerda da tela, aparece, praticamente espelhado, do lado direito. Confere aqui:

That emphasis

Wes seems to "help" the viewer to focus his attention on what he really deserves in the scene. So he uses some techniques like the contrast and staggering of the character or thing in the various planes of the image.

The perspective and the accompanying camera

Two principles of design, used in an original way, have become more of a trademark of the american director. Wes loves that top-down take, the Plongée, or "dip" in French. Already the movement is private, it appears as "shots" that cross the environment or with the camera that accompanies the character while he moves.


Aquela ênfase

Wes parece que “ajuda" o expectador a concentrar sua atenção no que realmente merece na cena. Então ele usa algumas técnicas como o contraste e o escalonamento do personagem ou da coisa nos vários planos da imagem. 

A perspectiva e a câmera que acompanha

Dois princípios do design, utilizados de forma original, tornaram-se mais uma marca registrada do diretor norte-americano. Wes adora aquele take de cima para baixo, o Plongée, ou "mergulho"em francês. Já o movimento é particular, aparece como “tiros" que atravessam o ambiente ou com a câmera que acompanha o personagem enquanto ele se movimenta. 

 Moonrise Kingdom | Image: O Bolchevique Analógico

Moonrise Kingdom | Image: O Bolchevique Analógico

The unfailing chromatic palettes

Undoubtedly, Wes uses color as an asset to create a stunning aesthetic in his movies. Warm colors, pastel shades, monochrome palettes, all appear in profusion and create a unique look, which, incredible as it may seem, does not tire your eyes. There is a Tmblr, the "Wes Anderson Palettes", which shows the wonderful palettes used in each director's film. In addition, there is a video posted by user Petrick on Vimeo which shows how each color was highlighted in the movie The Grand Budapest Hotel. Unmissable!


As indefectíveis paletas cromáticas

Sem dúvidas, Wes usa as cores como um trunfo para criar uma estética impressionante em seus filmes. Cores quentes, tons pastel, paletas monocromáticas, tudo isso aparece em profusão e cria um visual único, que, por incrível que pareça, não cansa os olhos. Existe um Tmblr, o “Wes Anderson Palettes”, que mostra as paletas maravilhosas usadas em cada filme do diretor. Além disso, há um vídeo publicado pelo usuário Petrick no Vimeo que mostra como cada cor foi destacada no filme The Grand Budapest Hotel. Imperdível! 

The nostalgic retro

Most of his movies take place in a time that is not now. Detailed costume, retro furniture and even the aesthetics of the characters and their personalities has "a what" nostalgic of the times of yesteryear. This characteristic that refers to the retro can be perceived even in the songs.

The typology

The font is one of the main elements of visual and graphic design. So it could not be ignored by Wes Anderson, okay ?! The emphasis is not only on the credits, but also on the transition images of films, titles, and situations in which the text is highlighted in the framework. Oh, and he has already become a fan of the Futura fountain, which, for him, refers to the old Italian films.


O nostálgico retrô

A maioria dos seus filmes se passa em uma época qualquer que não agora. Figurino detalhado, mobiliário retrô e até a estética dos personagens e suas personalidades tem “um quê” nostálgico dos tempos de outrora. Essa característica que remete ao retrô pode ser percebida até nas músicas. 

A tipologia

A fonte é um dos elementos principais do design visual e gráfico. Portanto, não poderia ser ignorada por Wes Anderson, ok?! O destaque a ela não é dado apenas nos créditos, mas também nas imagens de transição dos filmes, nos títulos, e em situações em que o texto ganha destaque no enquadramento. Ah, e ele já se assumiu fã da fonte Futura, que, para ele, remete aos filmes italianos antigos.

 Grand Budapest Hotel | Image: Taste Of Cinema

Grand Budapest Hotel | Image: Taste Of Cinema

Well, it's clearer than ever that no detail escapes Wes Anderson's gaze. We stand here in the crowd so the director continues to create aesthetic compositions that leave designers passionate and inspired to create ever more fascinating products, environments, scenarios and graphic designs.

Soon we will be back with #DesignInScene and another amazing director who makes a perfect mix between design and cinema!


Bom, ficou mais claro do que nunca que nenhum detalhe escapa ao olhar de Wes Anderson. Nós ficamos aqui na torcida para que o diretor continue criando composições estéticas que deixam os designers apaixonados e inspirados para criar produtos, ambientes, cenários e projetos gráficos cada vez mais fascinantes. 

Em breve voltamos com a #DesignInScene e mais um diretor incrível que faz um mix perfeito entre design e cinema!